Ciência sem Fronteiras – meu Currículo Lattes é bom o suficiente?

Muita gente pergunta isso e eu não sei precisar se existem metas específicas que sejam buscadas nos currículos dos candidatos, como x artigos publicados, ou graduação em cursos com nota y, mas, baseada na justificativa que nos foi enviada pelo CNPq após o deferimento da bolsa, posso afirmar que eles realmente leem o CV e se importam bastante.

Acredito que cada comitê que avalia as diferentes áreas tenha diferentes critérios, e no caso da Engenharia Mecânica/Aeroespacial (área prioritária: Engenharia e áreas afins) tivemos um parecer bem sucinto.

Itens do Lattes mencionados na justificativa de deferimento da bolsa:

  • Mestrado na UFSC
  • Bolsas de pesquisa anteriores
  • Envolvimento intenso com grupos de pesquisa
  • Poucas publicações em revistas/periódicos, mas boas apresentações em congressos

Ou seja, a universidade onde foi feita a graduação ou mestrado são importantes (foi a primeira frase da justificativa, curta e grossa: candidato possui mestrado na UFSC). No caso da Engenharia Mecânica, a UFSC é conceito máximo em todos os níveis. A participação em grupos de pesquisa também, acho que por mostrar o interesse pela academia. No Lattes tinham 3 citadas, mas todas bem detalhadas, até evidenciando relação com o tema proposto para o doutorado. O mesmo para as bolsas anteriores, já financiadas pelo próprio CNPq.

No caso das publicações, que muita gente pergunta, eram poucas, mas bem pertinentes para a área. Não tinha citado mais que 3 no momento da inscrição. Algumas pessoas que aplicaram para química me disseram terem pareceres negativos falando sobre a falta de artigos “relevantes” (JCR 3 ou superior), mas não sei… Outros também citaram a relevância acadêmica do orientador (índice H 30 ou superior).

Ainda sobre publicações, eu não sei bem os critérios de cada comitê, nem se eles estão expostos ao público em algum lugar – nunca achei – mas teve gente que relatou ter pareceres negativos citando exigências por nós desconhecidas, como este da Agronomia: “Não será considerado o pedido de bolsa de doutorado pleno no exterior (GDE) de proponentes que não tenham pelo menos 2 (dois) artigos publicados, na condição de autor ou coautor, em revistas com fator de impacto (JCR) maior do que zero.” Seria bom tê-los claramente definidos e de fácil acesso no site, né, facilitaria para todo mundo…

Resumindo, as dicas são preencher com tudo o que você já fez, descrever minuciosamente – até estabelecendo as relações com a pesquisa pretendida -, e ser confiante 🙂 O negócio é vender seu peixe.

E atualize os dados o quanto antes. Pelo o que lembro, o CV dos candidatos é puxado direto da página do Lattes, ou seja, não é um PDF que a gente envia. Não deixe para preencher em cima do prazo de envio dos documentos, sempre tem um delay para atualizar as informações, e mesmo que não tenha nada para atualizar há meses/anos, ATUALIZE para que a última atualização seja bem recente (também li relatos de gente que teve a bolsa indeferida por desatualização do CV, vai saber!).

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s