Reagrupamento familiar no SEF – Portugal

Para os portadores de visto que vêm a Portugal com família, existe um procedimento a ser feito no Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) chamado Reagrupamento Familiar. Ele vale para filhos, pais dependentes, ou cônjuge, seja este através de casamento ou de união estável (aqui chamada união de facto).

O que acontece é que, ainda no Brasil, somente a pessoa que vem a Portugal por algum motivo específico – trabalho, estudo… – pode tirar o visto e os demais familiares devem vir como turistas e, uma vez aqui, solicitar o reagrupamento. Mas existe uma série de procedimentos a serem feitos, por isso sugiro a leitura atenta:

Ainda no Brasil, tire uma via recente de sua certidão de nascimento e das pessoas que precisarão do reagrupamento. Se for cônjuge através de casamento não precisa, todas as outras situações, sim. Não sei se a procuração de união estável precisa ser atualizada, acredito que não. Nota importante sobre união estável ao final do post.

Tire também, junto a Polícia Federal, os antecedentes criminais de quem precisar de reagrupamento e autentique a assinatura do policial que aparece no documento. Todos os documentos devem ser encaminhados ao Consulado Português para serem legalizados. Aqui eu explico melhor o processo [ATUALIZAÇÃO IMPORTANTE, LEIA AQUI]

Se por acaso não houver tempo para fazer o processo junto ao Consulado Português, você pode trazer os documentos sem legalizar e fazer isso no Consulado Brasileiro em território português. Só não espere um bom atendimento… mas dá certo.

Atenção: quem vem com filhos em idade escolar precisa fazer trâmites extras que envolvem o reconhecimento dos documentos escolares pelo MEC. Eu não sei detalhes sobre isso.

Com todos os documentos em mãos, chegando em Portugal pode-se ligar ao SEF e agendar o processo. Algumas unidades aceitam fazer o reagrupamento ao mesmo tempo em que o titular do visto faz o primeiro pedido de autorização de residência (é a extensão do visto inicial recebido no Brasil, que só vale 120 dias). O SEF do Porto, por exemplo, não aceita isso e o reagrupamento só pode ser feito após o titular do visto ter em mãos o documento (um cartãozinho) de residência. Vale questionar isto antes do agendamento.

Para o dia de seu atendimento no SEF, vai precisar de uma série de documentos, tanto do titular do visto quanto de quem precisa do reagrupamento.

Do titular são passaporte, visto válido, impresso que eles dão na hora, comprovante de $$ (pode ser bolsa, trabalho, extrato bancário, contracheque… se vier do Brasil, legalizado), comprovativo de morada e contrato de trabalho ou bolsa ou matrícula na universidade. Se ganhar alguma bolsa portuguesa ou trabalhar em Portugal, também precisa estar inscrito na segurança social.

Os documentos de quem pede o reagrupamento são: impresso na hora preenchido pelo titular do visto, passaporte com carimbo de entrada legal em Portugal, comprovativo de morada, comprovativo de vínculo (as certidões que mencionei) e os antecedentes do país de origem (atenção: tem que ter sido feito há no máximo 3 meses, se você trouxe pronto do Brasil, mas não conseguiu atendimento no SEF em 3 meses, tire outro mais recente no Consulado Brasileiro).

O processo sai uns 37 euros, mas se desejar que o documento vá para casa (pode ir buscar no SEF se preferir), acredito que saia por volta de 45. Dizem que quando se pede para ser enviado pelos correios é mais rápido, mas não sei.

Pensa que acabou? Dali a um ano já tem que voltar para refazer o processo 🙂  As informações sobre a renovação do Reagrupamento estão neste post. Boa sorte e paciência!

 

Nota importante sobre união estável: o documento da união deve declarar que ela dura pelo menos dois anos. Atenção, porque isso não quer dizer que a união tenha sido declarada há mais de dois anos, mas que o documento conste a data inicial da união (o cartório pergunta na hora de fazer). Por exemplo: você pode ir hoje ao cartório e declarar a sua união com o companheiro, pedindo que conste que começou no dia x de 2014. Assim, poderá apresentá-la ao SEF sem problemas. Não esqueça de apostilar a união também no cartório.

Logotipo do SEF

Logotipo do SEF, 25 de Fevereiro de 2008. INACIO ROSA/LUSA

Anúncios

366 comentários sobre “Reagrupamento familiar no SEF – Portugal

  1. Olá, parabéns pelo blog, muito esclarecedor. Meu noivo vai fazer mestrado em Outubro, porém só poderei ir em Janeiro do ano que vem (2018). Como proceder para o reagrupamento familiar, tendo em vista que já temos a união estável aqui, mas não posso ir agora junto dele. Qual a documentação, dentre outras coisas, o que posso resolve por aqui enquanto ele está lá, e o que ele pode fazer de lá para adiantar?
    Outra coisa, ele vai tirar o PB4 dele agora, eu preciso tirar o meu, ou posso ficar de dependente no dele?
    Desde já grata pela atenção…

    Curtir

    • Ola Lis. Seu companheiro não pode adiantar nada por enquanto você não chegar a Portugal. Atenção que o reconhecimento da União Estavél é valido por 6 meses. De resto a unica coisa que vc pode trazer do Brasil é o seu Registo Criminal da P.Federal (apostilado e valido por 3 meses). De resto é somente depois que vc chegar mesmo, porque se o SEF ver que a marcação foi feita antes da sua entrada em PT, pode negar te atender. Boa sorte aos dois.

      Curtir

      • Tenho uma situação parecida, porém minha esposa irá logo em seguida. No máximo umas duas semanas depois. Quais documentos ela deverá levar? Alguma cópia do meu visto? Á nossa união na está apostilada.

        Curtir

        • oi Gustavo. Sua esposa vem sozinha como turista, portanto convém vir com toda a documentação que podem exigir para ela: passagem de retorno, seguro saúde, dinheiro o suficiente para o período ida-volta, etc.
          E apostilem a união!! Senão alguém no Brasil terá que fazer isso por vcs.

          Curtir

      • Desculpa não entendi, ela é valida por seis meses?Depois que chegar em Portugal preciso fazer algo pra fazer ela valer lá, mesmo já tendo apostilada aqui?Outra coisa, na hora de passar na imigração eu digo que estou indo reagrupar?A carta convite deve de alguma forma constar que estaremos tentando o reagrupamento?

        Curtir

        • sim, seis meses é o prazo de validade do documento para o SEF. não é preciso fazer nada além do apostilamento. se vc vem sozinha sem o marido, deve vir com todos os requisitos para entrada de turista (passagem, carta convite ou reserva de hotel + dinheiro, etc.), portanto eu não vejo necessidade de dizer que vai reagrupar. abs.

          Curtir

  2. A partir do inicio do processo, quantos dias em media sai ( reagrupamento familiar por casamento)? Dei entrada com todos os documentos requeridos dia 04-08-2017.

    Curtir

    • Olá Deise, tudo bem? Estrei indo com a minha esposa em janeiro de 2018, ela é portuguesa. Iremos pedir meu reagrupamento familiar assim que chegarmos. Quanto tempo para realizar o agendamento? Qual SEF você foi atendida? Muito Obrigado!

      Curtir

  3. Olá Marina, pode me ajudar?
    Sou cidadã brasileira com dupla nacionalidade portuguesa,tenho cartão cidadão.Residi em Portugal por alguns anos.
    Estou no Brasil prestes a regressar para Lisboa com minha menor e marido(ambos brasileiros que”ainda”não possuem dupla nacionalidade)
    Vou dar entrada no consulado Português aqui com o pedido de transcrição do meu casamento e atualização do cartão cidadão pois o mesmo está vencido.Com a transcrição em mãos e cartão cidadão atualizado e com validade em dia, podemos ir com passagens somente de “Ida” para Lisboa?Como cidadã portuguesa sei que posso ir com passagem somente de ida sem problemas, mas e o meu marido e filha menor como meus agregados?É possivel?
    Agradeço o retorno,obrigada

    Curtir

  4. Olá Marina, pode me ajudar?
    Sou cidadã brasileira com dupla nacionalidade portuguesa,tenho cartão cidadão.Residi em Portugal por alguns anos.
    Estou no Brasil prestes a regressar para Lisboa com minha filha menor e marido(ambos brasileiros que”ainda”não possuem dupla nacionalidade)
    Vou dar entrada no consulado Português aqui com o pedido de transcrição do meu casamento e atualização do cartão cidadão pois o mesmo está vencido.Com a transcrição em mãos e cartão cidadão atualizado e com validade em dia, podemos ir com passagens somente de “Ida” para Lisboa?Como cidadã portuguesa sei que posso ir com passagem somente de ida sem problemas, mas e o meu marido e filha menor como meus agregados?É possivel?
    Agradeço o retorno,obrigada

    Curtir

    • Olá!!
      Olha, teoricamente, seu marido e filha vão como turistas, então o certo é que tenham passagem de retorno. Isso é a obrigação de todo turista, pode ser um motivo para implicarem com vcs…
      Mas… assim como eu fiz, vc pode vir e contar com a compreensão do agente de imigração: passem todos juntos na imigração no momento de chegada, mostrem a documentação que trouxeram para pedir a residência deles e tudo certo. Eu e o marido fizemos isso e foi bem tranquilo, agora, não digo que seja o certo a ser fazer, ok? Fora isso, tenham o comprovante de alojamento do período inicial, foi a única coisa q me pediram… abs.

      Curtir

  5. Olá ! Casei com um portugues desde outubro de 2012,estamos indo a Portugal agora em dezembro,como vamos cuidar de coisas q demora,porque a mãe dele faleceu,coisas de inventario de ffamilia,não compramos passagem de volta.
    Todos nossos documentos estão apostilhados,ele tem td certinho também,cartão de cidadão tudo!
    Mandei um email para o SEF responderam me que desde q estivesse com todos documentos a passagem de ida e volta era uma questão entre passageiro e companhia aérea. Qual sua opinião?
    Obrigada desde já.

    Curtir

    • Legalmente, podes ser barrada sim. Um dos critérios aplicados para pessoas fora da UE, é ter bilhetes de ida/volta. O mais aconselhável se não irão comprar bilhete de volta(acho um risco desnecessário), é minimamente ter uma carta convite de um familiar residente em Portugal, a explicar a situação(com a devida certidão de óbito) e assumindo as responsabilidades de vossa estadia no país. Lembre-se que se oficial da imigração “encrencar”, estará amparado pela lei.

      Curtir

    • Olá, Betha. o comentário do Diaz abaixo é bem sensato, na verdade se vc vem como turista o correto é ter a passagem de retorno sempre! não ficou claro pra mim se vcs vem morar aqui ou só ficar o tempo necessário para resolver as coisas, pq se nao vierem para morar, vc mesmo casada com portugues nao consegue sua documentaçao, vcs precisam viver aqui. de qualquer forma, comprar a passagem de retorno junto com a de vinda quase não custa a mais, entao a sugestao é sempre comprar a volta e nao correr riscos ao chegar ao pais.

      Curtir

      • Obrigada por responder! Não vou como turista! Iremos morar por um tempo,fui no consulado portugues,disseram me tds documentos q havia de levar,estou a levar tudo. Mandaram fazer atranscrição do nosso casamento ai,porque aqui demora meses.Foi a informação que deram.

        Curtir

        • Boas. Por lei tens que ter a passagem de volta como turista. Acontece alguns casos de pessoas que vem sem a volta e entram sem problemas, mas o correto é ter a volta. A transcrição aqui não assim tão rapida e depois para se legalizar e ter tudo resolvido, conte a volta de 6/8 meses entre marcações, entregas de documentos e resposta do SEF. Boa sorte

          Curtir

  6. Boa tarde Marina,
    Parabéns pelo rico conteúdo de seu blog, tem sido de grande valia as informações que encontrei aqui !
    Minha situação é a seguinte, vim a Portugal a 1 mes e meio, ja estou a trabalhar aqui, ja tenho morada, NIF, Segurança social , vim com visto D2 de residência. Tenho agenda no SEF para quinta feira.
    A questão é minha esposa e filho, eles estão vindo na proxima semana com voo para Madri e depois PT e eles a principio vem como turista certo ? Porém eu posso mandar uma carta convite para eles e ela informar na imigração que vai reagrupar com seu marido, levando a certidão de casamento apostilada e tals. Digo isso pois não acho sensato ela mentir que vai “turistar”c sendo que ela esta vindo para agrupar, não vira com reserva de hotel. Acha que pode ter algum problema na imigração por conta disso ?

    Curtir

    • Oi, Fabio. Se a sua familia vem sem reserva de hotel, convem ter carta convite sim pq o comprovativo de alojamento é uma das exigencias que costumam pedir no momento de chegada. Ela pode sim dizer que vai fazer o reagrupamento se tiver todos os documentos em maos, mas lembre-se tambem que eles vem como turistas (pois nao tem visto) e o mais correto é ter passagens de retorno!! isso é sempre pedido, e como a imigração será feita em madrid, não sei ate que ponto estariam dispostos a entender o reagrupamento familiar portugues, nao corra riscos, abs!

      Curtir

  7. Sou Cidadao Portugues e resido aqui ja ha 16 anos. Quero trazer uma irma para morar aqui comigo. Ela é brasileira. Como proceder para que ela tenha um visto ou autorizacao minha, uma vez que ja sou portugues. Adquiri minha nacionalidade atraves dos anos que moro aqui legalmente.

    Curtir

    • Legalmente ela não pode ser caracterizada como dependente sua(salvo situações de incapacidades severas que o torne responsável legal ou tutor da mesma). A única coisa que podes é fazer uma carta convite onde assumes as responsabilidades dela por um período(ela como turista).

      Curtir

      • Compreendo, e no caso de minha mãe que já tem 70 anos, ela pode entrar sem problemas? Ela recebe pensão por viuvez, ela entraria sem muitas restrições? E no caso de passagem, poderia ser só de vinda?

        Curtir

        • acredito que a sua mãe se encaixa na mesma situação. se for sua dependente $$ poderia pedir reagrupamento, mas me parece não ser o caso, então acho que somente como turista mesmo (sempre com retorno comprado e demais exigências para turistas que entram na europa)!

          Curtir

  8. ola boa tarde
    Sou portuguesa vivo em França e sou casada com um cabo-verdiano, ele vive em cabo verde e quero que ele venha viver comigo aqui em França. A minha questão é, posso tratar do processo de reagrupamento familiar França ou em Portugal?
    Obrigada

    Curtir

    • oi, Elizabete, acredito que seu processo deva ser feito na França. Em Portugal me parece que exigiriam laços de vocês com o país (trabalho, residência, etc), o que não é o vosso caso. Procure se informar como consegue a residência do marido através do “casamento com cidadão comunitário”. É assim que chamam o mesmo processo em Portugal. abs!!

      Curtir

  9. olá Marina, tudo bem

    obrigada por ter me ajudado na duvida anterior, porém conversando com meu noivo, apareceram mais algumas duvidas, espero que possa me ajudar.
    Primeira coisa, gostaria de parabenizar pelo site, ele é muito esclarecedor,muito obrigada mesmo, tem me ajudado bastante. Conversando com meu noivo, apareceram mais algumas duvidas, ficarei feliz se o puderem me ajudar, vamos as dúvidas:
    1) Eu irei com meu noivo, tentar a vida em Portugal, pretendemos entrar em Portugal via visto de turista, a passagem irei comprar ida e volta com uma diferença de 10 dias, vocÊ acha valido já alugar (arrendar) um quarto ou um hotelzinho ou algo do gênero, somente para passar pela imigração?
    2) Eu sei, estou ciente que o NIF é “tudo” em Portugal, só que inicialmente não conheço ninguém aí, como eu tiro? os Portugueses ajudam a fazer isso e tal ou realmente sem ter parentes ou amigos ai, seria impossiível conseguir? (isso realmente estou preocupado, pois sei que precisa de alguém para assinar)
    3) Passados esses 10 dias iniciais da minha passagem de volta para Portugal, estou inicialmente ilegal ou tenho que no Sef e informar que quero ficar inicialmente por 3 meses?
    4) Li em alguns sites que o Banco Popular seria o melhor, para abrir conta por não precisa de contrato de Trabalho. Isso realmente procede?
    5) Depois de 6 meses a 1 ano, minha avó e minha mãe pretendem morar aí, comigo e meu noivo, ela é aposentada federal tudo certinho, sei que perderá os 25%, blz, eu posso mostrar minha renda e de meu noivo para ajudar nesse processo? E segundo minha mãe, possui procuração de plenos poderes sobre a aposentaria da minha avó, por esta ter Mal de Alzheimer (comprovada por médicos) minha mãe entra em beneficio de visto com minha avó, solicitando reagrupamento familiar ou não?

    Desculpas por tantas perguntas, mas é que pretendemos ´ir pra Portugal em maio, estamos pesquisando sobre tudo, e queremos organizar de acordo com a lei de lá.

    Desde já, agradeço a atenção de vocês.

    Curtir

    • oi Lorena. vamos lá:
      1) existem muuuitos relatos de problemas e golpes envolvendo alugueis, então, exceto se tiverem alguém de muita confiança que sirva de referência, não recomendo fechar nada sem olhar pessoalmente. 2) o NIF é realmente fundamental para qualquer coisa. se vem com visto certinho, para tirar é simples, mas sem visto precisarão de um representante fiscal, um português, cidadão ou residente regular que assine por vcs. nunca pague para alguém fazer isso, somente se conhecerem alguém de confiança 3) uma vez na europa, vcs tem 90 dias como turistas, independente da passagem que compraram inicialmente. ao final deste prazo podem ir ao SEF pedir mais 90, mas precisariam de justificativas e de uma passagem de retorno com a data condizente com o que pedem. depois disso, não estão mais regulares 4) eu não conheço o banco popular, mas fiz minha conta no activobank e recomendo. não mostrei qualquer comprovante de renda, trabalho ou estudo, somente a residência (que contém NIF e comprovativo de morada, ambos necessários para qualquer conta) 5) a sua mãe pode fazer o processo de visto dela a partir da aposentadoria sim, mas nada terá a ver com o teu ou do teu marido, pois ela não é tua dependente financeira. assim, a renda ou o fato de vcs viverem aqui não altera nada. a partir da residência dela feita, acredito que a sua avó se encaixe no reagrupamento pois é comprovadamente dependente dela, mas esses detalhes vale consultar o consulado pois não conheço muito bem. novamente, será vinculado somente ao da tua mãe, sem ter qualquer influência do teu ou do teu marido (a não ser claro que passem a ser seus responsáveis financeiros). abs espero que ajude.

      Curtir

  10. Olá, Obrigado pelo conteúdo, Eu tenho uma Dúvida e ainda não sei qual é a Melhor Solução,

    Eu tenho uma noiva e uma filha de 6 meses com ela, porem vim fazer mestrado em Lisboa, e aproveitei para dar entrada no pedido de nacionalidade através da cidadania que meu pai já tem pois meu avô nasceu em Portugal mas se mudou para o Brasil quando criança.
    Como nós não somos casados ainda, o que me aconselha fazer? Eu sei que assim que a minha cidadania ficar pronta eu já posso dar entrada na cidadania da minha filha, já tenho as certidões apostiladas e tudo o que precisa, porem eu queria que elas viessem antes, já mês que vem porem nem a minha estará pronta ainda, será que neste caso elas podem vir como turistas, com a passagem de volta comprada, e nos casarmos no consulado? e assim pedir reagrupamento familiar? ou ela terá que voltar ao Brasil na data da passagem de volta.

    E também gostaria de saber se caso ela volte após o período de 3 meses quanto tempo ela pode voltar a Portugal.

    Obrigado

    Curtir

    • oi Bruno. Casar aqui vc não consegue se a sua noiva não for residente legal na jurisdição do consulado. Elas podem vir antes e ficar 90 dias como turista e depois pedir mais 90 no SEF! Não é preciso deixar o país durante esses 180 dias, somente justificar a estadia prolongada. Depois disso, sim, tem que sair da Europa e ficar 90 dias fora. Passado este prazo, podem retornar!
      Sugiro vc pesquisar se o fato de terem um filho em comum não justifica alguma coisa para vc poder pedir a cidadania da noiva. A da filha será simples, mas quebrei a cabeça para pensar a situação da noiva, pois não tens nenhum comprovativo de vínculo ,né, acho que talvez tenha q retornar ao Brasil para casar ou assinar união estável, depois volta a Portugal e manda brasa na residência a partir da tua cidadania. abs.

      Curtir

      • Eu entendi, mas será que ela corre o risco de ser barrada no aeroporto como turista? Me disseram que se ela vier como turista com muita bagagem pode ser que achem que ela esteja vindo para ficar e mandem ela voltar. ainda mais com a criança.
        Neste caso tenho amigos de Portugal que podem dar uma carta convite para ela, inclusive parentes meus que moram no norte já disseram que podem fazer isso, será que ajuda ou ala ainda corre o risco de ser barrada?

        Curtir

        • outra coisa, recomenda casar depois que sair a cidadania? Se eu casar antes da cidadania interfere em alguma coisa? pois a cidadania vai demorar e torno de 8 meses para ficar pronta.

          Obrigado

          Curtir

          • A data do casamento não importa, Bruno, somente se fosse união estável seria exigido dois anos de prazo. O chato é que ela tem que ser apostilada no Brasil e acho que o prazo máximo aceito em Portugal a partir da data do apostilamento é de 3 meses, se não me engano. Cuidem com isso.
            Recomendo sim a carta convite!! Super simples e facilita muuuuito a entrada. Tenho um post sobre isso (atual termo de responsabilidade de fronteiras), não deixe de ver. abs!

            Curtir

  11. Olá, Marina e Rogério!

    Primeiramente, gostaria de parabenizá-los pelo site rico em informações e pela atenção que vocês dispensam a cada pergunta. Lendo os mais diferentes casos, me restaram poucas dúvidas:

    1) sou brasileiro e minha esposa tem cidadania italiana. Planejamos morar em Portugal em 2018. Como vamos para lá sem empregos, e ela pretende fazer um mestrado, faz diferença para nós se ela entrará com um visto de estudante ou como cidadã europeia? O SEF talvez assim crie menos problemas pelo fato de não estarmos empregados, ou não faz diferença?

    2) há alguma novidade sobre as certidões de casamento emitidas no Brasil? Pelo que li, elas têm que ser de inteiro teor, apostilhadas, traduzidas para o italiano e transcritas no consulado? Por acaso vocês sabem que tipo de documento o consulado nos devolve, se é um simples carimbo que a Itália está ciente do casamento, ou temos que esperar a Certidão traduzida ir para Itália e esperar algum documento de volta, etc.?

    Parabéns mais uma vez e grato pela atenção!

    Curtir

    • oi Voimer, desculpa a demora. Vc tem q ver que tipo de visto sua esposa vai receber no Brasil por causa deste mestrado. Se for de estada temporária (até 1 ano), vc não terá direito a pedir o seu reagrupamento familiar! Somente o visto de residência temporária te dará esta possibilidade. Essa situação vcs contornam se vierem com a cidadania europeia. Sobre as certidões de casamento eu não entendo nadica, então prefiro não dar palpite furado. abs!!!

      Curtir

  12. Olá, Marina.

    Obrigado pelas informações. São muito úteis.

    Por gentileza: eu estarei indo em março com visto de trabalho, juntamente com a minha família. Como eles irão com visto de turismo é necessário que atendam aos requisitos de um visto de turismo comum, tais como: passagem de volta, hospedagem?

    Muito Obrigado

    Curtir

    • oi, Antonio. Sim, teoricamente todos que não têm visto teriam que vir com os requisitos de turista cumpridos (passagem de volta, alojamento, etc). MAS vc pode contar com a boa vontade do atendente que os receber no aeroporto em Portugal Eu fiz assim, meu marido veio com visto e eu não, mas trouxe em mãos toda a documentação exigida para o reagrupamento e também um papel do consulado de curitiba (onde fomos atendidos) dizendo que o reagrupamento familiar só poderia ser feito em Portugal. Vc mostra seu visto de trabalho, mostra que vai trabalhar e sua família veio junto com a documentação já preparada e vai pedir o reagrupamento familiar, afinal é a única maneira de eles te acompanharem (Não existe nenhum procedimento no consulado que pudesse adiantar a situação). Contei com isso e deu tudo certo. Se achares arriscado, aí o negócio é comprar a passagem de retorno, ter alojamento reservado para todo o período, a quantia de dinheiro exigida, o seguro saúde e por aí vai… abs!!

      Curtir

  13. Marina, obrigado pelo retorno ao último comentário. Suas informações foram super úteis.

    Poderia, por gentileza, esclarecer sobre mais isso?

    Ao solicitar o reagrupamento familiar será necessário apresentar junto ao SEF extrato bancário comprovando que já possuímos o valor necessário para manter a família por quantos meses? (Aquela fórmula de 100% para pai, 50% para mãe e 30% para cada filho); ou bastará apenas já ter uma renda equivalente gerada pelo trabalho em Portugal?

    Muito obrigado!

    Curtido por 1 pessoa

    • oi Antonio. Não há um número exato de meses que cobrem no SEF, o que eles cobrem é que exista uma fonte segura de renda entrando no valor que vc mencionou. No meu caso, por exemplo, como é uma bolsa de estudos, eu levei o contrato da bolsa de estudos dizendo quanto ganha + um extrato bancário mostrando a conta onde os valores da bolsa são depositados, mostrando que entrava com regularidade. Sugiro que faça o mesmo, algo que prove o valor que ganha e o extrato de onde o dinheiro entra. Foi isso que a senhora do SEF me explicou. abs!!

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s