A bicicleta em Portugal

Adoro pedalar e trouxe minha bicicleta dobrável comigo para Portugal. Antes de sair por aí, no entanto, fui me informar sobre as condições dos ciclistas no país e o o que diz o código nacional de trânsito.

Por enquanto, minha experiência se limita à zona do Porto, onde posso dizer que não existem muitas ciclovias (vias separadas fisicamente da estrada), mas sim ciclofaixas (pinturas sinalizadoras do espaço para o deslocamento dos ciclistas), que é o que vemos no Brasil. E assim como lá, Portugal também sofre com o descumprimento das normas dos Planos Diretores municipais, que exigem 1,5 m de largura nas faixas, pondo em risco a vida de quem pedala.

Nas zonas de praia, aí sim, há muitas ciclovias largas e agradáveis para um ciclismo de passeio. Para o deslocamento na cidade, fica-se, então, nas ciclofaixas, e, portanto, é preciso cuidado redobrado, por estarmos em contato direto com veículos e pedestres.

Vejo em Portugal um respeito maior por parte dos motoristas com os outros participantes do trânsito, sejam pedestres (aqui chamado peões) ou ciclistas. A faixa de pedestres (“passadeira”) e as ciclofaixas são bem respeitadas e têm prioridade absoluta. Também na ausência das faixas, quando o ciclista deve compartilhar a via com os automóveis, há, em geral, paciência mútua.

Quanto ao código de trânsito português atual, achei bastante semelhante ao brasileiro no quesito bicicleta. Segundo as novas regras, em vigor desde 2014, os ciclistas têm prioridade – o código anterior obrigava os ciclistas a ceder passagem a veículos a motor!!!

Outros pontos importantes:

  • o uso do capacete homologado, apertado e ajustado é obrigatório somente para bikes elétricas;
  • ciclistas de até 10 anos podem pedalar por cima da calçada;
  • circular à direita dos carros, na faixa exclusiva de autocarro e táxi se preciso;
  • sempre na mão certa, nunca na contramão;
  • é permitido levar bagageiro e cadeirinha para criança de até 7 anos;
  • dois ciclistas podem andar lado a lado, mesmo quando usam a via principal.

 

Cicloturismo

A entidade de Turismo do Porto e Norte (ETPN) disponibiliza um guia das ciclovias, ecopistas e ecovias do Norte de Portugal, que ainda não estão 100% concluídas, mas vão abranger 82 locais, em 49 municípios, com uma extensão de mais de 520 km.

Massa crítica/bicicletada

Em Florianópolis eu participava e, recentemente, descobri que muitas cidades portuguesas têm suas versões da massa crítica, as populares bicicletadas. São eventos em que os ciclistas se reúnem para pedalar em grandes grupos, chamando a atenção para os problemas e dificuldades de convivência das magrelas no trânsito. Neste site se veem locais e datas dos encontros.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s