Tu x você – quando usar cada pronome de tratamento

Eis que, no intervalo da aula, vem um colega apavorado: “Percebeste que a professora está a tratar-nos por ‘tu’?” É claro que eu não tinha percebido, afinal, no Sul do Brasil todo mundo é “tu”, a não ser em situações extra formais. Na sala de aula, todo mundo era “tu”. Mas em Portugal não é bem assim!

Aqui, o “tu” é usado em situações informais, entre amigos e conhecidos. Em uma sala de aula, os estudantes até podem falar assim entre si, mas com o professor, não – e a recíproca é verdadeira, ainda mais em uma sala de doutorandos. O “você” seria a situação mais adequada, que evitaria o espanto do meu colega. Em Portugal, falar “você” é demonstrar respeito e distanciamento, sendo, portanto, o adequado em situações formais ou entre desconhecidos.

Eu, pessoalmente, não uso “você” nunca, porque pra mim é bem estranho falar a palavra, jamais usei a vida toda. O que eu faço é usar senhor/senhora em TODA situação em que eu não tenha um contato mínimo prévio com a pessoa, não importa se é uma pessoa tão nova quanto eu. Nas lojas, para os atendentes, nos supermercados para os caixas e demais trabalhadores, no táxi… por tudo mesmo.

Agora, se você sabe que a pessoa com quem fala tem um doutorado ou trabalha nas profissões que determinam o tratamento por doutor, como a medicina, aí é normal chamá-la por doutor/doutora, mesmo fora de contexto. Por exemplo, a senhoria do apartamento onde vivemos é médica, e embora eu nunca a veja no contexto hospitalar ou de consultório, eu sempre a chamo de doutora, e é absolutamente normal – pra ela, né, porque pra eu me acostumar não foi tão fácil hehehe.

O mesmo acontece para quem é mestre: chama-se mestre fulano. E o mais engraçado, pra mim, é entre os engenheiros, que se chamam de engenheiro siclano, engenheiro beltrano. Mas neste caso acredito ser mais restrito ao ambiente acadêmico ou de trabalho mesmo!

PS. vale lembrar que, embora no Sul do Brasil falemos “tu” o tempo todo, nós não conjugamos o verbo usado de acordo. É comum falarmos “tu vai” ou “tu sabe”, e em Portugal o certo é conjugar direitinho o verbo usado com o tu:  vais, sabes, etc.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s