Carteira de motorista (carta de condução) portuguesa – 3º passo (final)

Já falei sobre os dois passos iniciais para se trocar a carteira de motorista brasileira pela carta de condução portuguesa, que é ter o atestado do Consulado Brasileiro e um exame médico. Com isso em mãos, é só ir ao IMTT (no Porto fica perto do Norteshopping –  Av. Fontes Pereira de Melo 485/527) levando o seguinte:

  • atestado médico (eles não ficam com o atestado, somente carimbam e devolvem);
  • atestado do Consulado Brasileiro (fica lá);
  • sua carteira de motorista original (fica lá);
  • documento de identificação com foto + cópia simples (levei cartão de residente);
  • NIF caso seu documento de identificação não tenha o número;
  • Dependendo da categoria da carta, psicotécnico (carro e moto sem fim comercial não precisa, veja aqui quais casos exigem).
  • 30 euros.

Como sempre até agora, fui muito bem atendida lá, apesar de esperar mais de uma hora para ser atendida. Uma vez no balcão, em 20 minutos estava tudo feito, incluindo assinatura digital e foto. Cheguei 9h30 e já tinha uma super fila (atendimento somente até 16h). Com tudo feito, você recebe na hora um protocolo que permite dirigir por Portugal, substituindo a carta de condução, que deve chegar na sua casa em até 15 dias.

Agora um aviso…

Eu demorei 15 meses desde que cheguei para fazer minha troca (setembro/2015 – novembro/2016) e a senhora que me atendeu disse que uma nova lei determina que a partir de agora (não entendi quando, ela disse que eu seria uma das últimas aceitas) a pessoa que vem residir em Portugal tem 90 dias úteis para fazer a troca, após a obtenção do cartão de residente, seja temporário ou permanente! A tal lei é a 40/2016 de 29 de julho.

De qualquer forma, minha sugestão é tratar disso tão logo seja possível. É tudo bem simples de resolver, em uma semana se faz tudo. E leve um livro para ler enquanto espera no IMTT 🙂

 

Retirar documentos no SEF – onde, quando, como

Este post vale especialmente para quem mora na zona do Porto, não sei como funciona nas demais. O SEF aqui tem dois postos, um na Avenida de França, junto ao CNAI, que é onde você vai tirar dúvidas (com o CNAI, não com o SEF), levar documentos, agendar (se não quiser fazer pelo telefone e gastar crédito), etc, e há outro, que só se vai para retirar documentação, após receber uma carta orientando assim, pois não se vai lá a qualquer hora. Este fica na Rua do Barão de Forrester, 978 (o metro mais próximo é o Carolina Michaelis).

Neste último posto, para retirar documentos, eu já tinha ido três vezes, sempre às segundas-feiras, porque a carta do SEF curiosamente chegava na sexta e como o atendimento é somente pela manhã, ficava para a semana seguinte. O atendimento começa às 9h e sempre chegávamos uns minutinhos antes, e já tinha gente aguardando! Tem uma sala lá com umas 20 cadeiras, mas tem tanta gente que chegam a ficar em pé. Para ser atendido, tem que se levar passaporte, cartão anterior se tiver, e a carta que recebeu chamando para ir lá.

Veja a lista completa de documentos que o SEF pede em cada caso

Na última vez que fui chamada para tirar a residência, contudo, embora a carta tenha chegado na sexta, eu estava doente e só fui melhorar na quarta/quinta, então fui na sexta-feira lá, e nem cheguei cedo, pois continuava indisposta, deixei para as 9h30h e adivinha? Vazio! Então a minha dica de ouro é: se não estiver a fim de perder uns 40 minutos de espera no começo da semana, deixe para ir na sexta… e quem sabe quinta não é parecido também? Se alguém tiver esta experiência, compartilha 🙂

Ps. além de passaporte e carta do SEF, nesta última vez me foi pedido o protocolo que o SEF te entrega no momento da entrega da documentação, com a sua foto e número do pedido.

Logotipo do SEF

Logotipo do SEF, 25 de Fevereiro de 2008. INACIO ROSA/LUSA