Brasileiros no exterior: um texto provocativo

Um problema comum de muitos brasileiros no exterior é isso que chamo de choque da seriedade: acostumados com a “bagunça“ no Brasil e com o jeitinho brasileiro de resolver as coisas, as pessoas se veem chocadas quando chegam em outro país e se cobra delas que ajam com seriedade, com compromisso e dentro das regras.

Isso é o que diz um texto que linko aqui hoje, achei uma boa provocação para quem vai viver no exterior. Em Portugal não é tão sério quanto na Alemanha, pelos relatos 😛 Deixem suas impressões!

Leia aqui Brasileiros no Exterior e o Choque de Seriedade, de autoria de Gustl Rosenkranz

Anúncios

Para brasileiros estudarem medicina em Portugal

Essa dúvida é muito corrente nos grupos de conversa, então vale um post explicando certinho o processo. Os cursos de medicina em Portugal (o que vale também para a medicina dentária e a veterinária) não tem processo semelhante aos demais cursos para brasileiros, ou seja, não vale Enem nem qualquer outro meio que não seja o Concurso Nacional. 

Para fazer o concurso, o brasileiro tem que morar em Portugal há dois anos pelo menos e atenção: esse período tem que estar completo até 31/08 do ano em que quer fazer o exame. Se for depois disso, terá que prestar no ano que vem. Uma alternativa é solicitar o Estatuto de Igualdade no SEF (isso sempre foi possível para quem reside há seis meses ou mais, mas recentemente vi que não haveria mais essa exigência!? preciso confirmar).

A inscrição tem que ser feita em cada universidade que deseja concorrer. As  instituições que oferecem medicina são: Porto, Lisboa, Nova de Lisboa, Minho, Coimbra, Beira Interior e Algarve. Açores e Madeira têm cursos básicos (sem mestrado), então depois de terminado o básico, é preciso finalizar os estudos em outra universidade.

Em termos de qualidade, não sei se encontrará aqui muita vantagem nos cursos de medicina, mas o que mais chama a atenção é o preço beeeem mais baixo do que as particulares brasileiras. Mas lembre-se que, se a intenção for voltar ao Brasil para trabalhar, vai ter que revalidar o diploma, o que demora até seis meses e custa em torno de mil reais. A concorrência para entrar nos cursos também é grande!

RESUMINDO:

  • fazer o Concurso Nacional (exames nacionais);
  • se inscrever diretamente na universidade de interesse;
  • se preparar para pagar as propinas, que chegam a 7 mil euros/ano;
  • são seis anos de curso, depois tem a residência/internato;
  • se voltar para o Brasil, terá que validar o diploma em uma universidade pública, o que leva até seis meses e custa +- 1000 reais.