Portugal e o fumo. É muito cigarro!

É chocante para quem vem do Brasil, onde não se fuma em ambiente fechado, nem mesmo embaixo de marquise, para Portugal. Em ambiente fechado já não é permitido cigarro, mas as áreas externas dos restaurantes (inclusive se estiver fechada com vidro!!) é um festival de fumaça para tudo quanto é lado.

Infelizmente, nos dias ensolarados e frios, há que se pensar duas vezes antes de pedir uma mesa à esplanada, como são chamadas aqui as mesas externas. Alguém vai fumar! Em 2021, isto passará a ser proibido, mas até lá já não estarei mais por cá 😦

Os índices de fumantes na Terrinha chega a 30% para homens e 15% para mulheres. Durante as aulas, fazemos pausas para o “café”, que na verdade ninguém bebe nada, fica só no fumacê. A média de cigarros por dia no país é de 8!

Mas para mim, o pior exemplo acontece no dia de Reis, 6 de janeiro, no qual tradicionalmente se desmontam as decorações natalinas. Numa cidade chamada Vale de Salgueiros, em Mirandela, faz-se uma festa popular chamada Festa dos Rapazes em honra de Santo Estêvão. A parte comum é: escolhe-se a figura do rei, ele anda por aí com música, a distribuir tremoço e vinho aos habitantes, que retribuem com oferendas. A parte chocante: neste dia, as crianças da vila estão autorizadas a fumar.

No vídeo, vá ao minuto 3:30 e veja este absurdo travestido de “tradição”…

Aqui, as embalagens de cigarro trazem mensagens diretas como: fumar mata. Este ano foi aprovada uma lei que vai adicionar fotos aos textos, assim como já é no Brasil. As advertências devem incluir informações para deixar de fumar, como telefones ou sites de  programas disponíveis para ajudar a deixar o vício. Vamos ver se ajuda…

A cantar as Janeiras no Porto

Cantar as Janeiras é tradição em Portugal e não fossem as chuvas no Porto desde o dia primeiro, estaríamos no centro acompanhando os grupos que percorrem as ruas com roupas e cânticos folclóricos.

#pf_janeiras_07

Foto de Pedro Figueiredo, da Câmara do Porto

O tradicional é que as apresentações se estendam até o dia 6, dia de Reis, e que os grupos recebam recompensas estilo Halloween, mas menos chocolate e mais coisas locais, como frutos e castanhas.

As letras das canções, em geral, lembram o nascimento de Jesus ou louvam algum santo em particular, mas, como não poderia deixar de ser na Terrinha, há também as músicas desbocadas para se vingar de quem não “paga” as Janeiras. Aqui tem-se uma bonitinha: